O deputado Márcio Miranda, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, participou nesta quarta (24), no auditório do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania, da instalação do Primeiro Encontro Estadual de Gestores Municipais das Políticas de Assistência Social do Estado do Pará. O encontro é uma realização da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda Pará – SEASTER, com o apoio da Secretaria Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais (SEIPS) e do Governador do Estado, Simão Jatene.

“O encontro organizado pelo Estado, neste momento da vida nacional ganha um destaque estratégico, vem em auxílio aos municípios, e seus gestores, que devido à crise econômica estão enfrentando muitas dificuldades para fazer frente as carências sociais”, abordou o deputado Márcio Miranda em seu pronunciamento. Para ele o quadro é preocupante, “hoje temos uma população de quase 40% de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza, precisando de um olhar generoso, de um cuidado adicional e de políticas públicas que façam integração e busquem atacar esta situação”.

O Encontro de Gestores Municipais se estenderá até esta quinta, com atividades durante todo o dia. Na pauta, a política de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda no Pará. Até o final da manhã, aproximadamente 100 gestores municipais estavam inscritos junto à organização, representando aproximadamente 70 municípios. A secretaria garantiu que o evento será reproduzido nas diversas regiões do Estado, para atender de forma mais próxima todos os municípios.

Para o deputado Márcio Miranda, a realização de um evento desta natureza, foi uma demonstração de comprometimento com o social. “Realizar este encontro significa desafio, ação e uma forma de dividir e assumir responsabilidades, e ao mesmo tempo, demonstrar que o gestor está atento as demandas sociais – que são tantas, e com tão poucos recursos”, disse.

Ele ressaltou ainda a importância de que as pessoas que façam frente a estas pastas nos municípios tenham vocação para a atividade. “É preciso que tenham talento, dedicação e sensibilidade, que saibam se colocar no lugar do outro, porque as vezes, muitos dos problemas, só com o bom atendimento, o carinho, o respeito e o amor empregado, já coloca a situação em um novo patamar e a pessoa já sai dali com o sentimento melhor”.

Por último, destacou a necessidade de que os recursos nestas áreas sejam bem administrados para ajudar ainda mais a diminuir as angústias e os males sociais.

Para a secretaria Ana Cunha, da SEASTER, que representou o governador Simão Jatene, o evento foi formatado para qualificar os gestores municipais das políticas de Assistência Social, de fazê-los conhecedores das ferramentas e das políticas públicas existentes, e de todos os recursos que perpassam pelo Estado e pelos municípios nesta área. “Não podemos pensar em construir um município, um Estado e uma nação se você não consegue tirar uma pessoa que vive na área da exclusão, tendo seus direitos violados, se sentindo aparte de um contexto social de crescimento”, disse.

Em seu pronunciamento a secretária ressaltou a importância da instalação pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará, da Frente Parlamentar de Assistência Social, apoiada pelo deputado Márcio Miranda e pediu ainda celeridade na discussão e votação do projeto de lei, que estabelece a criação nos municípios das Comissões Municipais de Trabalho, Emprego e Renda. “Eles terão a função de formatar nos municípios as políticas públicas da assistência social, ajudando no gerenciamento, centralidade e execução das diversas políticas a serem desenvolvidas no município.

Fizeram parte ainda da mesa oficial da abertura o Secretário Heitor Pinheiro da SEIPS, e Adriana Oliveira, Conselheira Substituta do Tribunal de Contas do Estado, representando o presidente do TCE, Daniel Lavareda; e Rubens Cordeiro, diretor da SEASTER. Márcia Pantoja, Secretária Municipal de Assistência Social de Moju, representando na oportunidade os gestores municipais, foi destacada, tanto pelo deputado Márcio Miranda, como pela secretária Ana Cunha. “Márcia Pantoja sai daqui como um grande símbolo de assistência social, um exemplo de superação –  está se submetendo a um tratamento de quimioterapia, no entanto, continua a ajudar o próximo”.