O deputado Márcio Miranda, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará participou nesta quarta (03), da abertura solene da XIII Feira da Industria do Pará – FIPA, no Hangar Centro de Convenções da Amazônia, em uma promoção do Sistema Federação das Indústrias do Pará (FIEPA), com a realização ainda do Sebrae-Pará, com as parcerias da Confederação Nacional da Industria (CNI) e do Governo do Estado do Pará.

Este ano a Feira – que conta com 60 estandes e se estenderá até o próximo sábado, dia 06, trouxe como tema ‘Indústria Criativa’. No evento vão ocorrer exposições de produtos e serviços, realizações de palestras, rodadas de negociações e cursos de qualificação do empresariado e da mão de obra paraense. As empresas participantes apresentarão ainda “cases” de sucesso, que provocaram mudanças e vantagens competitivas aos seus negócios e como despertaram a inovação entre seus próprios colaboradores.

Em seu pronunciamento, o deputado Márcio Miranda, destacou a confiança que o parlamento estadual deposita no empresariado, na FIEPA e nos industriais que atuam no Pará. “Compreendemos que o setor industrial é um parceiro no desenvolvimento com geração de emprego e renda do Estado, e temos acompanhado o esforço de superar a crise econômica que o país atravessa, em um cenário internacional desfavorável”, avaliou.

Para o deputado, a escolha do tema foi muito apropriada, ‘criatividade’ é o que tem levado os industriais do Pará a superação, demonstrando ter sido deles  o maior esforço para enfrentar este cenário de crise e de indefinições. Ele parabenizou ainda os participantes da Feira. “Vocês resistiram e foram criativos ao manterem a realização deste evento que já faz parte do nosso calendário estadual”, disse o presidente da Alepa.

Ele disse também que o parlamento do Pará tem sido parceiro do Estado e do setor produtivo. “Aprovamos leis importantes para que o governo pudesse fazer frente a este momento e o mais importante, não aprovamos em nenhum momento, nenhuma lei que aumentassem impostos”, ressaltou. “Neste momento crítico, não se pode aceitar e nem colocar em pauta nenhum projeto que penalize o setor ou que aumente a tributação”, argumentou.

Por último, colocou o trabalho parlamentar  à disposição do setor. “Entendemos que o setor produtivo, os industriais precisam sim de nosso apoio e a Assembleia Legislativa continuará a ser parceira do segmento”. A representação política da ALEPA, no evento contou ainda com a presença do vice-presidente da Fiepa, deputado Sidney Rosas e do deputado Gesmar Costa, oriundo de uma região do Sul do Estado, uma área muito industrializada.

O governo do Estado do Pará em seu estande realizou o lançamento do Manual Executivo do Investidor no Estado do Pará e o Programa Inova Pará, baseado na construção de sistemas regionais de inovação, como parte do Programa Pará 2030 – Ações de desenvolvimento para os próximos 15 anos. Foi assinado ainda um Protocolo de Intenções entre o Governo do Pará e a empresa Citróleo para a liofilização (técnica de desidratação) de frutas regionais, entre estas destaca-se o açaí. O evento foi coordenado pelo secretário Adnan Demachki, de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, que representou o governador Simão Jatene na solenidade e na abertura da Feira.

A Feira contou na abertura desta edição, da presença do presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade, pela primeira vez no Estado. Ele fez no pronunciamento a defesa da reforma trabalhista aprovada na Câmara dos Deputados e da Previdência em tramitação. “Se a previdência ficar como está o Brasil corre o risco de enfrentar uma crise semelhante à da Grécia, com um cenário próximo ao da Espanha”, disse. Ele destacou ainda o setor industrial paraense que já representa 3% da indústria brasileira. “Este evento mostra a potência, a capacidade da indústria do Pará”, argumentou. Ele citou a vocação de crescimento nas atividades mineral, madeireira, eletroeletrônicos, biotecnologia, farmacêutica, dentre outras áreas de atração de investimentos e geração de tecnologia e de desenvolvimento.

O presidente do Sistema FIEPA, José Conrado, além das boas vindas aos participantes da Feira, apresentou as expectativas do setor industrial de investimentos até 2020 no Estado. “Estão previstos investimentos na ordem de R$ 180 bilhões, que vão gerar mais de 190 mil novos empregos diretos e indiretos no Estado. “O Pará foi o único Estado Brasileiro a ter crescimento industrial”, citou Adnan Demachki por sua vez. Ele ressaltou ainda que o Governo do Pará trabalha com o objetivo de cada vez mais verticalizar a produção no Estado de nossas riquezas, ‘deixar de ser tão somente um Estado exportador de matéria prima’.