O deputado Márcio Miranda esteve nesta tarde de quarta (14) hipotecando apoio e fazendo um apelo ao governo do Pará, para a retomada imediata das obras de construção do presídio de Parauapebas, em uma reunião na sede da secretaria de segurança pública do Estado, coordenada pelo Coronel André Cunha, secretário de Gestão Operacional da SEGUP. As obras de construção do presídio estão paralisadas há pelos menos quatro anos, devido ao abandono da empresa licitada, FCK Engenharia, com 60% de obras físicas realizadas. “O pedido é da comunidade que quer o mais rápido possível a conclusão do presídio”, defendeu o presidente da Alepa. Também representavam o Parlamento, os deputados Gesmar Costa, solicitante da reunião e Dirceu Ten Caten, ambos com atuação política na cidade.

O secretário atribuiu o problema à crise econômica do país que levou o atraso dos repasses. E que não foram somente a de Parauapebas, que outras obras no âmbito da SUSIPE sofreram interrupção. “Estamos em débito com o município, mas garanto que o governador está empenhado com a conclusão, e a paralisação fugiu da capacidade de domínio do Governo, da SUSIPE e da SEGUP”, disse o Coronel André, que também exerceu a superintendência do Sistema Penal.

“Estou cobrando a retomada das obras desde que assumi em janeiro deste ano”, disse o deputado Gesmar Costa. O presídio que aguarda conclusão da construção terá capacidade para 312 vagas. Hoje, os presos de justiça de Parauapebas estão em uma casa adaptada. Cerca de 200, em três salas, localizada no bairro Rio Verde, um bairro antigo da cidade, o que tem causado medo e apreensão na população.

“Não estou satisfeito, mas saio daqui esperançoso, porque o Coronel André, garantiu que a licitação para a realização das obras deve ser concluída no máximo até o início de julho e vou cobrar para que o prédio seja inaugurado ainda no primeiro semestre de 2018”, manifestou Gesmar. Para ele, o projeto foi todo refeito e as inconsistências retiradas e está na Secretaria de Obras do Governo do Estado.

Na reunião, na sede da SEGUP, estiveram ainda o atual superintendente da SUSIPE, Coronel Rosinaldo Conceição; representantes do Conselho da OAB e da sua Comissão de Direitos Humanos; do Conselho da Comunidade de Parauapebas e da Prefeitura Municipal da Cidade.