A Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) firmou uma parceria com a Telefônica Vivo e com a Fundação Hemopa, nesta terça-feira, 29, para incentivar a doação de sangue e de medula óssea no Estado.

O termo de cooperação foi assinado à tarde, na sala dos ex-presidentes, no prédio sede da Alepa e consiste no envio de 200 mil SMS para usuários da Vivo, com textos estimulando a doação de sangue e a realização do cadastro para doação de medula óssea. O envio dos torpedos será feito nesta quinta-feira, 1º de outubro para clientes de DDD 91.

O presidente da Alepa, deputado estadual Márcio Miranda ressaltou que o Poder Legislativo foi motivado pela população, que recorre à casa sempre que precisa de ajuda. “Aqui no parlamento nós somos instados e procurados pela população para agirmos em várias questões. E foi atendendo ao anseio do povo, que nós resolvemos firmar essa parceria para nos somar nessa importante campanha, que pretende chamar a atenção da sociedade e sensibilizá-la a fazer doação”, ressaltou Márcio Miranda.

De acordo com a relações institucionais da Vivo na Região Norte, Olenita Paes Barreto,os torpedos terão o seguinte texto: “Doando sangue e medula óssea, você não salva uma vida, mas uma família. Saiba mais em www.hemopa.pa.gov.br. HEMOPA, VIVO e ALEPA”. “Nós estamos muito felizes de estar fechando essa parceria e é preciso ressaltar que foi a Alepa que nos procurou para que a gente fizesse juntos essa campanha, o que demonstra que essa casa não só legisla como está envolvida com ações de caráter social e pela vida”, destacou a representante da Vivo, acrescentando que a Telefônica Vivo também possui uma relação com o Estado do Pará que vai além das relações comerciais. “Nós estamos inseridos nas questões importantes para o Estado, como é a questão da saúde e da vida”, acrescentou.

De acordo com a gerente de captação de doação do Hemopa, Juciara Farias, atualmente, o Pará possui cerca de 600 mil doadores de sangue cadastrados no Hemocentro e obtém uma média de 5,5 mil doações por mês. “Esse número de doações é insuficiente, principalmente, em períodos de grandes eventos como será o Círio, que está se aproximando (segundo domingo de outubro). Por isso, nós precisamos realizar essas parcerias para dar visibilidade para a importância da doação e aumentar o cadastro de doadores”, destacou a gerente. Para doar sangue é preciso ter de 16 a 69 anos, peso a partir de 50 quilos, estar alimentado e portando documento de identidade para poder fazer a avaliação e doação.

No caso de doações de medula óssea, existe no Brasil cerca de 3,5 milhões de doadores e segundo Juciara Farias, no Pará, há cerca de 104 mil

candidatos. Esse banco de dados fica disponível para o Instituto Nacional do Câncer (INC) e se houver algum doador compatível o órgão entra em contato com o doador cadastrado para que seja feita a doação. “É importante ressaltar que, no caso de doação de medula óssea, primeiro é feito apenas o cadastro. O doador só é acionado para a doação caso haja compatibilidade dele com algumas das pessoas que estão precisando da doação”, frisou a gerente do Hemopa. Para fazer a doação é preciso estar sempre com o cadastro atualizado e que esta é uma doação única. Para doar medula é preciso ter entre 18 e 55 anos, não pode ter histórico de câncer, HIV, hepatite C e diabete tipo 1, as demais informações é o documento de identidade para que possa fazer a avaliação e cadastro.

O empresário Jadilson Neves é doador de sangue desde os 18 anos, quando ainda morava em Minas Gerais. Há 12 anos em Belém, ele manteve a rotina de quatro doações anuais e há cerca de cinco anos soube de uma campanha do Hemopa para o cadastro de doadores para a doação de medula óssea e resolveu se cadastrar. “A dica que eu dou para as pessoas é que participem dessa campanha porque doar sangue não dói e para a doação de medula basta fazer um cadastro e ficar à disposição do banco de dados para o caso de haver compatibilidade com algum paciente. Mas é preciso que as pessoas entendam que ajudar a salvar vidas não tem preço”, concluiu o doador.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2109, no bairro da Batista Campos, com acesso pela Serzedelo Corrêa, localizada em Belém (PA). A coleta de sangue é feita de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo telefone: 0800-2808118.
FOTO: PC CARVALHO